sábado, 2 de julho de 2011

Confirmar e simplesmente agradecer...


…e chega sempre a hora de experimentarmos profundamente a fidelidade de Deus para conosco! Percebemos, finalmente, a verdade absoluta das promessas de Jesus: “Quem aceita o meu testemunho confirma que Deus é verdadeiro!” (Jo 3, 33) quando fazemos a experiência do “cem vezes mais” do que aquilo que deixamos (Mc 10, 29-30). Percebemos, então, com um sorriso, que foi tão pouco o que deixamos…
A confirmação dessa verdade tem a ver com o sentimento profundo da plenitude e da realização pessoal, a certeza de que valeu a pena ter nascido para vivermos exatamente por aquilo que vivemos! Sentimo-nos inteiros, completos... ainda que não acabados. É uma sensação de unidade total, de integração interior de todas as dimensões da vida. É a experiência oposta à dispersão e à crise…
O caminho da fidelidade faz-nos saborear a confirmação das decisões que fomos assumindo e dos riscos que fomos correndo em busca de Mais Vida que a Palavra propõe. Experimentamos que o amor vence sempre e que só as decisões por ele inspiradas são verdadeiramente duradouras e humanizantes.
À medida que vamos construindo a nossa história de amizade que se transforma em amor profundo, começa a acontecer que outros comecem a construir também por terem se encontrado conosco…
Então, nos damos realmente conta de como o Evangelho de Jesus “funciona” como dinâmica libertadora na vida das pessoas! Isto começa a fazer tanto sentido que surge dentro de nós o impulso da missão. A nossa história pessoal de amizade com Jesus abre-se a outras histórias e torna-se inspiração de Evangelho.
À medida que vamos amadurecendo, aprendemos que as nossas “demissões” bloqueiam muito mais o Evangelho na vida das pessoas que estão ao nosso redor, do que as nossas imperfeições ou limitações pessoais. Quando isto acontece, começamos a confiar de verdade no Espírito Santo, na eficácia da Sua ação, e Ele revela-nos muitas vezes e de muitas maneiras que, de fato, é Ele mesmo que faz maravilhas! Nós somos apenas instrumentos Seu!
Isto representa uma nova experiência de encantamento, mas agora com outra maturidade, outro sabor e outro alcance… Um encantamento que sabe a gratidão, uma gratidão desmedida por nos sentirmos conhecidos, amados e infinitamente confirmados por aquele Jesus em nome do qual tínhamos antes decidido a nossa vida.
Esta confirmação está sempre associada à experiência da fecundidade. Ninguém pode ser Feliz sem ser fecundo! E a fecundidade humana tem um alcance muito maior que o biológico. A fecundidade humana tem a ver com a nossa capacidade de amarmos e com as causas nas quais realizamos esse amor. Quando alguém nos diz: “Sou mais Feliz por te ter conhecido!”, está nos dando o testemunho da nossa fecundidade, que significa a eficácia humanizante da nossa vida junto dos outros.
À medida que a nossa história pessoal de amizade com Jesus vai “alargando as nossas fronteiras” e vai tocando outras pessoas, começamos a experimentar muitos “mimos de Deus”, verdadeiras minúcias da Sua Ternura. Por quê?! Porque essas pessoas com as quais vivemos e anunciamos o Evangelho, ao abrirem-se aos apelos do Espírito Santo no seu Coração, tornam-se também elas próprias mediações do Seu amor por nós!
Vamos experimentando diante dos nossos olhos a eficácia libertadora do Evangelho de Jesus no coração das pessoas e a sabedoria que emerge no cotidiano dos que abrem a mente à Palavra de Deus. Confirmamos então, que Aquele que nos chamou é Vivo e Verdadeiro! Confirmamos também que toda a nossa caminhada pessoal de fé, esperança e amor; à medida de Jesus fez de nós pessoas felizes, preenchidas e realizadas. Somos libertos dos medos e dos bloqueios que antes carregávamos porque descobrimos em Quem está o segredo da nossa força.
É esta experiência de confirmação que nós gostaríamos de ter antes da decisão. Para que ela não tivesse que acontecer tantas vezes em forma de crise… Mas tudo isto só se pode experimentar mesmo, depois, quando a vida já está posta ao serviço, quando arriscamos o salto para o “abismo da confiança” e percebemos que as regras do jogo se resumem todas a um amor maior que o medo, o pecado e a morte!
Quando saboreamos a fecundidade da nossa vocação e a tranquilidade de termos os pés assentados em rocha firme, até os enfrentamentos por causa do Evangelho nos fortalecem. Porque não é possível viver o Evangelho de Jesus sem tomar partido por ele em situações bem concretas e visíveis e isso, às vezes, acontece como um “sinal de contradição” forte demais para alguns…
Quando, os marginalizados e acusados pelos poderosos, e os puros do mundo, se sentirem consolados e libertos pelas nossas escolhas, e os opressores e acusadores dos irmãos se sentirem incomodados por elas, fazemos uma profunda experiência de confirmação! Porque essa é a sina dos Profetas e dos “Homens de Deus” em toda a história… A "sina dos Profetas" é um sinal claro de Confirmação da veracidade das nossas vidas e das nossas escolhas que o Espírito Santo nos ensina a ler com muita Alegria!
E, no fim, acabamos sempre por resumir tudo a uma indescritível gratidão, um sentimento admirável de termos sido chamados e puxados para uma intensidade de Vida que nenhum dos nossos projetos poderia sequer vislumbrar! Esta gratidão transforma-se dentro de nós num desejo irrenunciável de Fidelidade. E, sem dúvida nenhuma, quando falamos da nossa vida como vocação, a fidelidade é o caminho mais curto para a felicidade!
Jesus fartou-se de dizer isto e não consta que alguém se tenha dado mal por lhe ter dado crédito! Nós é que temos um medo enorme que conosco possa ser diferente…

Rui Santiago

*Este é o último texto da série "Vocação".É, infelizmente acabou... rsrsrsr... Adorei dar uma "cara" nova a eles. E neste quase não fiz adaptações, exceto do português "de Portugal" para o português "do Brasil". Amei estes textos do Rui Santiago... E confesso que gostaria de saber mais sobre ele... parece ser um presbítero, mas não encontrei nada que confirme isso. Ele tem blogs que se ligam uns ao outros... mas coisas que não dão muita informação...

Em todo caso, todas essas fases pelas quais passamos em busca de confirmar nossa vocação, lembram demais aquilo que passamos também em busca de sentido a nossa vida, seja ela amorosa, religiosa, profissional, de amizade... enfim... de nossa vocação PELA VIDA! Feliz daquele que confirma e agradece a PRESENÇA enorme do amor em suas vidas. Amor esse inspirado por Deus e vivido plenamente em nossa missão de Cristão! E que consegue-se "encantar-se" a cada dia com isso como se fosse a primeira vez...

Agradeço demais a Rui Santiago ou a quem quer que tenha sido o autor dos originais. Na internet a gente nunca sabe a quem pertencem as coisas... E peço perdão se alterei algumas linhas e acrescentei outras. Minha intenção nunca foi "roubar" a idéia e sim, mostar o quão lindos e verdadeiros são estes textos.

Um comentário:

  1. Bom dia Angela,

    Vim te convidar para fazer parte do Catequistas Unidos!

    Vi que você já conhece várias catequistas que estão na lista. Vamos incluir seu blog?

    Paz de Cristo!!!

    ResponderExcluir