quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Pedagogia de Deus

Saber e Saber fazer, faz parte de nossa caminhada catequética. São processos que constroem o catequista. E nessa busca pelo saber, encontramos o alerta de que temos que nos apoiar nas ciências modernas (DNC 150 e 151). Uma delas a Pedagogia. Não a pedagogia tradicional descrita como “teoria da educação e da instrução” (Dic. Aurélio), mas a Pedagogia Catequética, que vai além, sendo, também, a “condução” de nossos catequizandos ao caminho da fé. “A pedagogia catequética tem uma originalidade específica, pois seu objetivo é ajudar as pessoas no caminho rumo à maturidade da fé, no amor e na esperança. (...) Para isso Deus se serve de pessoas, grupos, situações, acontecimentos...” (DNC 146).

A palavra Pedagogia tem origem grega, formada por: paidós (criança) e agogé (condução). No entanto, é preciso entender que, aplicada à catequese, ela vai além da mera condução da “criança”, palavra que descreve uma das etapas do crescimento do indivíduo. Ela conduz a “pessoa”, em qualquer idade cronológica.

Como princípio, temos a Pedagogia de Deus como modelo a seguir. Seguidas da pedagogia de Jesus, da ação do Espírito Santo e do modo de proceder da Igreja (DNC, capítulo quinto, inteiramente dedicado a Catequese como educação da fé). Mas o que é afinal essa pedagogia? Pois bem, a Pedagogia de Deus é proporcionar ao homem , encontrar-se, crescer e assim, conquistar a paz e o sentido de sua existência.  Deus dá todas as condições necessárias para que isto aconteça, através de Sua Palavra, por meio dos acontecimentos do cotidiano e das vivências do dia a dia. 

Para ilustrar melhor o conceito, encontramos nos itens 40 a 48 da Catequese Renovada – Orientações e Conteúdo – DOC 26 da CNBB, orientações a respeito da Pedagogia de Deus e sua revelação.

Deus se revela por meio de um processo, uma caminhada, não é uma coisa que acontece de uma vez só. Não porque Deus não quer comunicar-se por inteiro a nós. Deus é comunicação, Deus é amor, Ele está sempre junto de nós. Nós é que nos afastamos, somos nós que precisamos desse processo lento e permanente de Revelação, porque somos seres em construção.

Em outras palavras, a humanidade não está preparada par acolher a Deus plenamente, inteiramente. Muitos obstáculos nos separam de Deus, muitos pecados nos desviam.

Deus então, procura guiar a humanidade de volta ao caminho. Procura orientá-la, aproximá-la de Si. Torna-se para seu povo como um pai ou uma mãe que ensina à criança os caminhos da vida. Torna-se um mestre ou educador, que ensina aos alunos caminhos mais adiantados em busca da verdade e da felicidade. “Como um pai educa seu filho, assim Deus educa seu povo.” (Dt 8, 5)

Nos encontros de Deus com o seu povo e seus profetas, é possível reconhecer que Ele fala partindo de algo que os homens já conhecem, que pertence à experiência deles, e procura levá-los a descobrir e compreender algo novo do seu ser, do seu amor, da sua vontade. Ou ainda: Deus ilumina o seu povo e seus profetas para que compreendam o sentido da história que estão vivendo, dos acontecimentos que Deus quis ou permitiu.

Nesse sentido, a catequese, inspirada na pedagogia de Deus busca incentivar a participação ativa dos catequizandos na mudança da sociedade, com a missão permanente de inculturar-se buscando uma linguagem capaz de comunicar a Palavra de Deus e a Profissão de Fé da Igreja (Credo), conforme a realidade de cada pessoa. É preciso assumir as realidades humanas e iluminá-las com o Evangelho, a Boa Nova.

Nisso temos o exemplo de Jesus, o Verbo, que se fez carne, assumiu a natureza humana e a cultura de um povo conforme o seu tempo (EN 18 e 20).

Ângela Rocha

Fontes:

CNBB, Diretório Nacional de Catequese. Catequese como educação da fé. Pgs. 97-115. Brasília, Edições CNBB, 2006.

CNBB, Catequese Renovada – Orientações e Conteúdo. Pgs. 20-22. 39ª Ed. São Paulo, Paulinas, 2009.

Paulo PP VI, Exortação Apostólica Evangelii Nuntiandi. Roma, dezembro de 1975. Encontrada em:

domingo, 26 de fevereiro de 2012

RECEITA PARA A QUARESMA


 
Hoje na missa das 19hs na Paróquia Nossa Senhora Rainha dos Apóstolos, aqui de Londrina, Pe. Luciano fez uma homilia muito interessante. Aproveitando o tema da CF 2012, ele começou dizendo que tinha acabado de criar ali na paróquia o “CASAL” – Centro de Acompanhamento da SAúde e Longevidade. E se intitulou lá o “médico” que poderia aviar receitas. E passou a seguinte receita para os paroquianos e ouvintes da rádio Alvorada, seguirem nesta quaresma.

RECEITA
Para uso interno e contínuo

01. CONVERSÃO (1000mg) ____________ infinitas caixas.
Toem um comprimido 1X ao dia (principalmente antes e depois de cometer um pecado).

02. ARCO-ÍRIS (1000mg) _______________ 1 caixa.
Este remédio não é para tomar. Mas para olhar e lembrar que depois do dilúvio Deus fez aliança com Noé, sua família e seus descendentes... principalmente com VOCÊ.

03. DESERTO (777mg) _____________________ infinitas caixas.
Tome um comprimido durante quarenta dias. E use sempre que se sentir precisando de paz e reflexão.

04. ESPÍRITO SANTO ___________________ infinitas caixas.
Tome 01 comprimido todos os dias da sua vida para vencer as tentações que temos que enfrentar.

05. CRUZ (1000mg) _____________________ infinitas caixas.
Tome um comprimido quando sentir dor. E sinta na carne o alívio que a salvação pode trazer.

06. EVANGELHO (400mg) _________________ infinitas caixas.
Leia com atenção as mensagens do comprimido, medite por meia hora ao dia e saboreie com o coração.

07. ORAÇÃO (1000mg) ___________________ infinitas caixas.
Dissolver uma pastilha de oração diretamente no coração 5X ao dia nesta quaresma. Sinta-se a vontade para aumentar a dose.

08. EUCARISTIA (1200mg) _______________ infinitas caixas.
Tome 01 comprimido aos domingos, se puder tome 01 comprimido durante qualquer dia da semana também.

09. CARIDADE (1000mg) _________________ infinitas caixas.
Tome quantas gotas precisar quando você perceber que o seu próximo está precisando de ajuda. Não economiza na dosagem.

10. SACRAMENTO DA RECONCILIAÇÃO (700mg) ____________ 01 caixa.
Tome um comprimido nesta quaresma para se preparar para a páscoa do Senhor.

OBS. Nenhum destes remédios possui contra-indicação.

Londrina, 26 de fevereiro de 2012.

Pe. Luciano Macedo, SAC
Médico de almas
CRM 070701 (data da ordenação)

Av. Tiradentes, 53 – Fone (43) 3327-2233 – Londrina - Pr

Vamos falar um pouco de metodologia?


“Os métodos deverão ser adaptados à idade, à cultura, à capacidade das pessoas, tratando de fixar sempre à memória, a inteligência e ao coração as verdades essenciais que deverão impregnar a vida inteira.” (Evangelii Nutiandi, 44).
Exortação Apostólica do Papa Paulo VI, ao Episcopado, ao Clero, aos Fiéis de toda a Igreja, sobre a Evangelização no mundo contemporâneo, de 1975.
“Desde o ensinamento oral dos apóstolos às cartas que circulam entre as Igrejas e até os meios mais modernos, a catequese não cessou de buscar os métodos e meios mais apropriados para sua missão.” (Catequesi Tradendae, 46).
Exortação Apostólica pós-sinodal, do Papa João Paulo II, de 16 de outubro de 1979, "Sobre a catequese do nosso tempo".
"A catequese é um processo dinâmico, gradual e progressivo de educação na fé." (Puebla, 984).
A Conferencia de Puebla, México, foi a Terceira Conferencia Geral do Episcopado latino americano, foi aberta em 28 de Janeiro de 1979, e presidida pessoalmente pelo Santo Padre João Paulo II.
Estas palavras dão a dimensão exata de que, os métodos pedagógicos são fundamentais à catequese: não há educação da fé sem metodologia que a sustente. A enorme variedade de situações humanas, os diferentes meios, as variáveis de tempo e lugar, obriga a catequese a buscar uma metodologia diferente, porém nunca definitiva nem absoluta; ela brota das condições que favorecem ou retardam o encontro e a resposta entre Deus e a pessoa.O catequista deve assumir as atitudes pedagógicas que acentuem os valores que quer transmitir. Sem isso, o ato catequético perde seu valor educativo. O caráter de testemunho no catequista é a condição essencial da evangelização.
"O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com nossos próprios olhos, o que contemplamos, o que tocaram nossas mãos... vô-lo anunciamos." 
(1Jo 1,1).

DIA MUNDIAL DA ORAÇÃO

DIA MUNDIAL DA ORAÇÃO – Primeira sexta-feira de março

O que é....

O DIA MUNDIAL DA ORAÇÃO é um movimento que reúne mulheres cristãs, de muitas tradições, em todo o mundo, para observar um dia comum de oração por ano. Em muitos países esse contato tem continuidade em reuniões de oração e trabalho.
É um movimento iniciado por mulheres e realizado em mais de 170 países e regiões.
É um movimento simbolizado por uma celebração anual – primeira sexta-feira de março – à qual todos são bem-vindos.
É um movimento que aproxima mulheres de várias raças, culturas e tradições, estreitando, relacionamento, compreensão e trabalho.
Através do DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO, mulheres de todo o mundo: afirmam sua fé em Jesus Cristo; compartilham suas esperanças e temores, alegrias e tristezas, oportunidades e necessidades.
Através do DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO, mulheres são encorajadas: a se conscientizarem do que acontece no mundo e a não viverem isoladamente; a se enriquecerem com experiências de fé vividas por cristãos de outros países; a levarem as cargas de outras pessoas, orando com e por elas; a reconhecerem seus dons e talentos e usá-los em benefício da comunidade.
Através do DIA MUNDIAL DE ORAÇÃO, as mulheres reconhecem que a Oração e a Ação são inseparáveis e que ambas tem incontestável influência no mundo, unindo todos em torno da Oração com Informação.

Todos os anos um dos Comitês Nacionais/Regionais de DMO preparam a liturgia da celebração sobre um tema específico.

2006 – Os sinais dos tempos – África do Sul.
2007 – Unidos sob as tendas do Senhor – Paraguai.
2008 – A sabedoria de Deus proporciona novo entendimento – Guiana.
2009 – Em Cristo somos muitos membros mas um só corpo – Nova Guiné.
2010 – Tudo que tem fôlego, louve ao Senhor – Camarões.
2011 – Quantos pães vocês tem? – Chile

2012 – Que a justiça prevaleça - MALASIA


Cada Comitê Nacional/Regional se esforça para a plena participação ecumênica no Dia Mundial de Oração. Cada Comitê se responsabiliza pela tradução, publicação, promoção e divulgação do DMO. Resolve sobre o destino das ofertas. Cada Conselho nomeia um Elemento de Ligação com o Comitê Internacional e recebe deste, todo material e apoio.


Conheça mais sobre o assunto no site:

HOMILIA DO DOMINGO



1º. Domingo da Quaresma – B

“Este é o sinal da aliança que coloco entre mim e vós, e todos os seres vivos que estão convosco, por todas as gerações futuras: ponho meu arco nas nuvens como sinal da aliança entre mim e a terra” (Gn 9, 12-13). Deus estabeleceu uma aliança com Noé. A aliança é uma iniciativa de amor, de benevolência de Deus, uma relação de diálogo entre Deus e as pessoas. O Senhor deseja sempre mostrar o seu amor e a sua vontade para que sejamos felizes. Ele está do nosso lado e se compromete com a nossa vida. Sempre podemos estar abertos ao diálogo e à amizade com Deus. Isto está na base de qualquer aliança divina.

A aliança implica também o lado do ser humano. Assim, trata-se de um dom, mas também de uma tarefa: ao mesmo tempo em que a aliança revela a iniciativa e a benção divina, exige de cada um de nós um esforço para cumprirmos aquilo que Deus nos propõe.

“O Espírito levou Jesus para o deserto. E ele ficou no deserto durante quarenta dias e aí foi tentado por satanás. Vivia entre os animais selvagens, e os anjos o serviam” (Mc 1,12). Jesus cumpriu em tudo a vontade do Pai, assumiu a sua tarefa como Filho de Deus. Mas antes foi conduzido ao deserto pelo Espírito. O deserto é o lugar da tentação, da secura, do desânimo... No deserto a amargura é aparente, pois se este lugar é vencido, podemos desfrutar de suas graças: no afastamento dos barulhos da vida, encontramos sentido verdadeiro no silêncio.

O deserto é o lugar da tentação. Jesus foi tentado a deixar a sua missão, foi tentado a desistir de tudo. O Senhor transformou o deserto em uma oportunidade de encher o seu Espírito de motivação, de firmar o sentido de sua missão. A quaresma é uma oportunidade para tomar novo ânimo, para levar nossa vida com coragem.

No deserto Jesus foi tentado a utilizar de modo inadequado o seu messianismo. Poderia utilizar de seu poder para se auto promover, mas não o fez. Somos também tentados a desvirtuar a nossa missão. Facilmente utilizamos dos nossos cargos, funções, papéis sociais de um modo equivocado. Por vezes o poder nos seduz, e somos tentados a focar nossas ações em nós mesmos, para que tenhamos evidência e bem estar.

Pe. Roberto Nentwig

"Basta-te a minha graça, porque é na fraqueza que se revela totalmente a minha força!"
(2Cor 12,9)

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Entusiasmo...


Hoje meu coração está todo florido de Deus...

Isso se chama ENTUSIASMO!

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Falando de mistagogia...


Mistagogia é uma palavra que vem sendo cada vez mais usada na catequese, na liturgia e nos estudos de teologia. O conceito nasce da idéia do Concílio Vaticano II de restaurar o catecumenato, onde o Tempo da Mistagogia é a fase privilegiada onde os fiéis aderem à fé cristã e querem fazer parte da comunidade de fiéis. Por sua vez, o Ritual de Iniciação Cristã de Adultos (RICA) agregou este termo como forma de fazer acontecer a vontade de João Paulo II quando apelou aos pastores para que estes encontrassem “a maneira de fazer com que o sentido do mistério penetre nas consciências, redescobrindo e praticando a arte mistagógica, tão querida aos Padres da Igreja”.

No dicionário podemos encontrar a palavra “mistagogia” como a iniciação nos arcanos de uma religião; no caso concreto do cristianismo, é a iniciação cristã propriamente dita. Daí que a evangelização mistagógica, seja o ato ou efeito de evangelizar o discípulo cristão. Em suma, a mistagogia é a iniciação dos recém batizados (neófitos) aos mistérios do cristianismo e a uma educação da fé que os predisponha a viverem (pessoalmente) o que se celebra e, a entrarem, cada vez mais, nos mistérios que são celebrados.

Ou seja, é uma forma de renovação da igreja. Que implica “um grande esforço de formação”, uma vez que, muito mais do que “favorecer a compreensão do verdadeiro sentido das celebrações” que a igreja prega, urge “uma adequada instrução sobre os ritos”.

E isso passa, é claro, pela maneira como se trabalha a evangelização nas paróquias. Ou seja, é necessário privilegiar a educação cristã, cuja finalidade é formar o fiel discípulo cristão (enquanto “homem novo”) para uma fé adulta, que “o torne capaz de testemunhar no próprio ambiente a esperança cristã que o anima”.

Se faz urgente, portanto, que cada paróquia repense seus métodos catequéticos e abra espaço para uma formação cristã dentro do processo catecumenal, valorizando seus ritos e símbolos.

O que é mistagogia?

Mistagogia = iniciação nos mistérios de uma religião. 
Mist         +   agogia
mistério  introdução

A “mistagogia” traz o significado de uma introdução aos mistérios do sagrado.
Mistagogia cristã é:

a) uma educação da fé que predisponha os fiéis cristãos a viverem pessoalmente o que se celebra.

b) uma evangelização que leve os fiéis cristãos a penetrarem cada vez mais nos mistérios que são celebrados. 

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Parabéns Helena!

Hoje é aniversário de uma pessoa muito especial para mim...

Além de uma amiga muito querida, ela é minha "mentora". 
Tudo que não sei, pergunto a ela... rsrrsrs..
Tenho um admiração enorme por ela como pessoa e como catequista. Leninha tem uma mente brilhante e um coração de ouro. Amo demais essa querida amiga!

Parabéns HELENA OKANO! Sou sua fã incondicional!

Essa flores e esta oração, são para você:


"Oração do Catequista

Senhor, chamaste-me a ser Catequista
na Tua Igreja e na minha Paróquia.
Confiaste-me a missão de anunciar a Tua Palavra,
de denunciar o pecado, de testemunhar,
com a minha vida, os valores do Evangelho.
É pesada, Senhor, a minha responsabilidade,
mas confio na Tua graça.
Faz-me Teu instrumento para que venha o Teu Reino,
Reino de amor e de Paz,
de Fraternidade e Justiça.

Amem."

A luta por espaço num espaço infinito...

Em agosto de 2011, publiquei no Blog Catequese e Bíblia da CNBB, o seguinte post:

* * * * * *

PARABÉNS CATEQUISTAS BLOGUEIROS

Já há algum tempo, nossa Igreja vem alertando para a importância de se “tomar” os espaços na internet. Hoje este novo meio de comunicação já não pode ser considerado uma simples “ferramenta” de evangelização. A Internet tornou-se um “mundo” a ser evangelizado.

E nesta semana, onde homenageamos a vocação leiga e amanhã, mais especificamente, o Catequista, não podemos deixar de mencionar o trabalho que muitos deles vem fazendo na internet através de sites e blogs.

Catequistas e outros agentes de pastoral estão literalmente, invadindo o ciberespaço. Com textos, atualidades e muito material de catequese, encontramos hoje, muito mais de uma centena de blogueiros engajados na missão de evangelizar pela internet.  O blog hoje é uma ferramenta de interação tão “poderosa” quanto o Facebook ou o Twitter. Isso falando de popularidade, mas considerando o conteúdo que pode ser disseminado por eles na Web, podemos considerá-los, sem dúvida alguma, um meio mais que eficiente de propagar idéias, textos, músicas, vídeos e, porque não, IDEAIS e o PROJETO DE JESUS! 

Os blogs tem tido, assim como tudo na internet, um crescimento assustador. Segundo uma pesquisa da Technoratti, 120 mil blogs são criados por dia. Três a cada dois segundos. Até janeiro deste ano, eram 152 milhões de blogs no planeta. E 2% são em língua portuguesa. E são aproximadamente dois bilhões de pessoas acessando a internet todo dia. Se um blog já teve 100.000 visitantes, pode se considerar um felizardo, mesmo não chegando nem perto de 1%, ele tem uma parcela até considerável de pessoas visitando a página.

Parabenizamos e homenageamos os CATEQUISTAS BLOGUEIROS, aqui em nosso blog, criando uma lista de links, que pode ser acessada por esse banner na lateral do blog:



Esta lista foi fornecida pelo blog Catequese na Net que está trabalhando a união de blogs de catequistas para apoio e divulgação. A ela, foram acrescentados mais alguns de conhecimento nosso. Esperamos enriquecê-la cada vez mais. 

Neles você vai encontrar catequistas experientes e blogs já com mais de 400 mil visitantes, assim como alguns que acabaram de começar e estão engatinhando na blogosfera. A cada um, nosso agradecimento por estar dedicando ainda mais do seu tempo a mais esta ação evangelizadora.
 
* * * * * *
Só que nesta última semana, o link, bem como o banner, sumiu da página do Blog.
Simplesmente o trabalho dos catequistas blogueiros deixou de ser "importante"!!
Só que na época o número de seguidores praticamente triplicou e o blog chegou a ter 20 mil visitas em um mês! 
Hoje o blog tem um espaço consolidado e  500 a 600 visitas mensais. 
E a cada dia conquista mais seguidores... Mesmo não publicando nada que seja relevante ao trabalho da catequese nos últimos dois meses...

Hoje, visitando a página da Catequese na net (veja aqui) topei com uma mensagem de revolta da administradora do Grupo Catequistas Unidos. De fato é uma atitude lamentável do atual administrador do blog, sequer consultar ou justificar o porque de "excluir" os catequistas blogueiros de lá.

De minha parte só posso pedir desculpas, pois, não faço mais parte da equipe desde o dia 07 de dezembro de 2011, quando tive minha senha revogada e recebi uma carta de dispensa do serviço de administração do blog.
 

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Catequistas Anjos no Facebook

O grupo Catequistas Anjos do Brasil existe desde 2005 e foi criado para promover a interação via internet de catequistas de todo canto do Brasil.
 
 
Catequistas Anjos do Brasil : Grupo de catequistas virtuais cujo objetivo é interagir e partilhar experiências com os catequistas de todo Brasil.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A comunicação e a “comunicação”

O e-mail ainda é um excelente veículo de comunicação. E ainda é “particular”... Não tem toda a conotação “social” das redes como o Facebook.

Mas nada me deixa mais “p” da vida do que encontrar aquelas mensagens "duvidosas", de procedência mais duvidosa ainda, de autor incerto e com exigência de um novo “repasse”.

Por “duvidoso” eu classifico: correntes de oração, aqueles alertas “importantes” e “indispensáveis” ao consumidor desavisado, propaganda de “desgraça” alheia (com fotos horrorosas das mais diferentes doenças), mensagens em ppt, mensagens sem autoria e todos esses e-mails que já vem carregados com uma lista enorme de destinatários.

Estas mensagens normalmente estão carregadas de spams e expõe os e-mails de nossos amigos e conhecidos ao envio das mais diversas bobagens.

Hoje, para minha consternação, recebi, pela décima quarta vez (e nem culpo a amiga que enviou que o fez na melhor das intenções), aquele e-mail que fala do BBB com autoria atribuída a Luiz Fernando Veríssimo. Além da falta de confirmação sobre a autoria, este texto vem circulando na internet há umas três versões do BBB. Eu, particularmente, duvido que um autor de fino humor e inteligência, como é o Veríssimo, tenha se dado ao trabalho de escrever aquilo.

Quando ao teor do dito cujo, ele diz tudo e mais um pouco sobre os nossos sentimentos a respeito desse programa de entretenimento. Tanto que nem sequer merece que a gente se dê ao trabalho de começar uma discussão sobre o assunto.

BBB para mim é uma coisa totalmente sem significado, assim como novelas, Pânico na TV, Faustão, Gugu e, recentemente o CQC. 

Só me dou ao trabalho de sentar em frente à televisão para assistir alguma coisa que faça sentido. Baixaria jamais fará sentido em lugar algum. Aliás, faço questão de ficar fora das rodas de conversa que estejam discutindo essas coisas. Além de estar por fora do assunto, considero uma perfeita perda de tempo (e de inteligência) discutir os malefícios de um programa de TV que eu poderia tirar da minha vida, apertando um simples botão do controle remoto.

"Ah! Mas essas coisas são vistas pela maioria esmagadora da população brasileira! São vistos pelos nossos catequizandos! Pelas famílias! Como é que eu vou ficar fora do assunto?"

De fato, como evangelizadores podemos e devemos fazer leitura crítica da comunicação.

Mas estas coisas serem consideradas "comunicação" é algo por demais pretensioso. Eu diria até que entrar numa conversa sobre BBB e a novela das oito com nossos adolescentes é remar contra a maré da evangelização, entrar no jogo das grandes redes e fazer marketing gratuito.

Penso que temos coisa muito mais importante para falar. E aqui nem estou considerando o projeto de Jesus (que está intrínseco na catequese), estou falando de enxergar a realidade do mundo e das pessoas.

Dar importância a estes programas de mau gosto, discutí-los, é incentivar que se assista a eles. É dar aquilo que os produtores precisam: IBOPE.

“Claro que eu detesto tudo isto! Mas... posso dar uma "espiadinha"!”.

Reflexões sobre o BBB

* Dom Orlando Brandes

Respiramos uma atmosfera erótica generalizada. Nada acontece por acaso. Estes programas têm uma filosofia, uma intenção, um objetivo que é ganhar dinheiro pela via do erotismo. Sexo, dinheiro e fama são os piores ídolos da humanidade. Eles nos escravizam. Trata-se de uma 'trinca perigosa'.

Depois que no Brasil, através de manobras políticas, foi liberado o
divórcio instantâneo, a manipulação de células tronco embrionárias, a união de pessoas do mesmo sexo, a lei da palmada, entramos numa anarquia erótica. Sem esquecer o 'kit sexo' idealizado pelo ex-ministro da Educação, o projeto da homofobia, do aborto e aquela jogada nada honesta de liberar o aborto em nome dos direitos humanos e da saúde publica, como queria o ex-ministro da Saúde. Virou uma balbúrdia, e até os que defendem as bandeiras da revolução sexual estão preocupados.

Tudo isso parece modernidade, mas é sintoma da doença da nossa
civilização. O Império Romano não foi derrotado pela espada e canhões, mas pela decadência moral. Um sábio chinês diz que estamos confundindo um navio furado, invadido pelas águas e afundando, com uma piscina de banho. Estamos afundando e fazendo festa, como se o barco furado invadido pelas águas fosse uma piscina.

Nada temos a aprender da revolução sexual acontecida nos Estados Unidos e na Europa. São países envelhecidos e necessitados de braços estrangeiros, de mão de obra barata. Está mais do que comprovado que a revolução sexual fracassou. Tudo piorou com a pornografia na internet. Nossa cultura secularizada erotiza precocemente crianças e adolescentes fazendo explodir a gravidez precoce, a aids e outras doenças. O próprio Freud orientou a sexualidade humana para a sublimação.

Na ideologia do BBB está sendo passado um culto exagerado do corpo, a exaltação do instinto e da paixão, o homossexualismo, a inutilidade do casamento, a degradação da família. Isso tudo sem respeito pelo povo e seus valores morais. A banalização da sexualidade é um retrocesso destrutivo porque abre o caminho para a droga, o alcoolismo, o vazio interior, a exaltação do corpo.

Há escolas onde a educação sexual consiste apenas em saber usar o preservativo, conhecer a fisiologia corporal e a praticar todo tipo de erotismo. Em muitos setores da sociedade o permissivismo está incentivando o contrário, isto é, a volta do moralismo, do tabu, do negativismo sexual. Não devemos perder a simpatia, o louvor, a gratidão pelo dom da sexualidade.

Na democracia temos o direito de protestar, contestar, dialogar,discordar. Em relação ao BBB, continuemos a utilizar a internet. Mudar de canal é um gesto que tem efeitos muito práticos. Não telefonar para dar o voto aos concorrentes também é algo eficaz. O protesto popular, a consciência social, a manifestação do povo e das instituições têm poder. O que não podemos é continuar reféns da ditadura do relativismo e do erotismo. BBB é um desacato à nossa cultura.

Não morremos por falta de sexo, morremos por falta de afeto, de carinho, de consideração. A paixão tem sabor de liberdade, mas é uma corrente que nos amarra e a carne não basta para saciar nossa fome de amor. O coração é mais que o corpo. O Brasil não pode ser a pátria do turismo sexual. Nossa tradição familiar e cristã é um bem para sociedade.

Tantos artistas convertidos já declaram ao mundo inteiro que a 'alegria do espírito é maior que a volúpia da carne'. O que vale é o amor, os valores, os limites, a humanização da sexualidade, a fé, a espiritualidade. O amor livre é uma invenção burguesa que leva à onipotência e onipresença do prazer desordenado. Torna-se escravidão e desilusão.

A sexualidade é uma energia que nos leva ao encontro com o outro inclusive com o grande Outro. É uma força de comunhão, de relacionamento, de amizade, de transcendência. Temos um longo caminho a percorrer na busca do equilíbrio e da maturidade sexual e afetiva. Quanto mais amor, mais pudor. A linguagem do amor compõe-se das seguintes declarações: eu sou amável; eu gosto de você; eu sou capaz de amar; eu amo e por isso escolho; eu decido amar alguém; eu sou teu para sempre.
*Dom Orlando Brandes é Arcebispo de Londrina-PR
Fonte: Diário de Maringá / Blog Dom Anuar
Postado por Dom Luiz Gonzaga Bergonzini

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Catequista...


Catequista, o fardo às vezes parece pesado demais...

Se você se atrasa, eles param;
Se você hesita, eles recuam,
Se você se arrasta, eles sucumbem;
Se você desanima, eles desistem;
Se você se acomoda, eles enfraquecem;
Se você se irrita, eles explodem;
Se você critica eles condenam;
Se você não os compreende eles se revoltam;
Se você se queixa, eles duvidam.

Mas...
Se você reza, eles se santificam;
Se você ensina, eles se enriquecem;
Se você elogia, eles crescem;
Se você se sacrifica, eles se fortalecem;
Se você sorri, eles se alegram;
Se você tem paciência, eles se acalmam;
Se você os ama, eles revivem;
Se você testemunha, eles aderem;
Se você aponta caminhos, eles se enganjam;
Se você coopera com Jesus Cristo, eles se salvam.

DINAMICA DA CAIXA DOS SONHOS

       SUGESTÃO DE ATIVIDADE PARA ABERTURA DO ANO
                       (Com catequistas ou catequizandos)


CAIXA DOS SONHOS




OBJETIVO:  
Incentivar o início da caminhada anual. Lembrar que é preciso ter objetivos (sonhos) e acreditar que eles possam ser concretizados. Incentivar a crença na mudança e que somos parte primordial nisso ao planejarmos e acreditarmos que as coisas podem ser melhores. Incentivar a oração diária.
 
MATERIAL:
 
- Papel sulfite branco cortado em tiras de mais ou menos 2,5 cm. Depois de recortados confeccionar um “caderninho” com mais ou menos 10 folhas, usando para juntá-las um grampeador. Deve haver um “caderno” para cada participante;

- Confeccionar uma caixinha (quadrado de 10x10 cm com altura 5 cm) para cada participante. Pode ser em MDF, papelão ou qualquer material. (Uma sugestão somente, pode ser outro tipo de embalagem, tamanho, etc.);

- Um chocolate “Sonho de Valsa” para colocar em cada caixinha;
- Confeccionar um cartãozinho para colocar encima de cada caixinha escrito: “Coloque Deus no início e ele cuidará do fim”.

EXECUÇÃO:
 
- Distribuir aos participantes, logo na chegada, o “caderninho”;
 
- Logo depois das boas vindas perguntar a todos se eles tem expectativas para este ano. Se tem algum sonho a realizar (com relação a catequese ou a sua vida).  Lembrar de alguns sonhos que deixamos pra trás, esquecidos... (Utilizar algum texto de apoio e adaptar às necessidades do grupo);
 
- Pedir que cada um escreva nas folhas de papel os seus sonhos (um sonho em cada papel), incentivar a pegar mais papel se for necessário ou se não conseguir preencher todos que não tem problema, depois dobrar cada papel em quatro e segurar na mão (música de fundo: Não deixe de sonhar- Chimarruts: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ZiGalG62-KY#!);

- Assim que todos tiverem terminado, pedir a todos que levantem-se devagar e peguem uma caixinha (que deve ter sido previamente colocado em uma mesa decorada com flores, toalha, etc.). Pedir para não abram a caixa enquanto todos não estiverem de volta ao seu lugar;
- Assim que estiverem todos sentados, permitir que abram a caixa e pedir para que substituam o sonho ali de dentro (Sonho de Valsa) pelos sonhos que estão escritos no papel;

- Colocar um vídeo de motivação/música. Sugestão: Ressuscita-me (Aline Barros) ou alguma música que fale de sonhos, milagres, acreditar...;

- Criar um clima de emoção falando no quanto é importante ter sonhos, desejos, aspirações, sempre com Deus em seus corações, que mesmo que muitos desses desejos não se realizem, Deus sabe o que precisamos, a hora e o lugar. Mas que quando acreditamos de verdade e lutamos por aquilo que queremos, sejam coisas materiais e imateriais, fica bem mais fácil de realizar, e que os sonhos e muito do que pedimos, Deus realiza sem mesmo a gente saber ou perceber; 

- Pedir a cada um que depois, deixe em sua casa a caixinha num lugar especial e que todo dia lembre de fazer uma oração pela concretização de seus sonhos (falar da importância de ACREDITAR e orar); 

- Fazer uma oração pedindo a todos que segurem a caixinha junto ao coração e com a outra mão (a esquerda) toquem a pessoa que está do seu lado. Nesta oração fazer uma reflexão sobre aquilo que pedimos de “impossível”, aquilo que pedimos de espiritual, de material e se pedimos pelo nosso semelhante. Peça para que todos rezem pelos seus sonhos e pelos do seu irmão que está ali do lado. Finalizar com o Pai-Nosso. 


Obs.: Esta dinâmica foi aplicada na escola onde faço trabalho voluntário, no primeiro dia da Semana Pedagógica. Fiz algumas adaptações.