sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Promessas de ano novo...



Sempre que o ano chega ao fim nos prometemos mudanças. A simples passagem de um ano para o outro no calendário nos faz rever nossas atitudes e querer mudar, deixar pra trás aquelas coisas bobas que fizemos durante o ano que passou e, se possível, repetir só aquilo que se fez de bom.

O ano muda. Mas, será que nós mudamos só porque vai ser um novo ano? Será que todas as promessas que nos fazemos não são vazias ou apenas quimeras? Será que janeiro vai fazer algum efeito dentro da gente? Logo virão fevereiro, março, abril... E aí? Será que vamos mesmo mudar? Não vamos mais cometer os mesmos erros?

Tento lembrar das tantas promessas que já fiz em tantos finais de ano na minha vida... Será que cumpri alguma? Será que realmente mudei? Em algumas coisas eu sei que mudei. Mas, não porque prometi ou achei que o novo ano me traria coisas diferentes, mudei por tudo aquilo que aconteceu comigo independente da mudança do calendário.

Na verdade promessas de mudança devem ser feitas todos os dias de nossa vida, a cada momento que passamos. Então, cada dia de nossa vida seria um “ano novo”, uma vida nova, onde deixaríamos tudo aquilo que nos magoou para trás e faríamos de tudo para não magoar aqueles que passaram por nós.

Pois é... Fácil é achar que ao jogar a folhinha do calendário fora, nossa vida tomará um novo rumo. Fácil é fazer promessas que ninguém vai cobrar. A maioria delas a gente nem vai cumprir ou lembrar: Emagrecer, fazer academia, começar um novo curso, mudar o visual... Sem lembrar que todas essas coisas posso fazer a qualquer hora, em qualquer dia. Difícil é se tornar uma nova pessoa. Alguém melhor, mais justo, mais fraterno... Isso não é pra qualquer hora, a qualquer momento. É algo para a vida toda, para todos os dias, meses e anos de nossas vidas... Não só para 2013 ou qualquer outro ano.

Não esperemos então, que chegue o ano novo para mudar. Façamos mudanças a cada minuto, e que mudemos sempre para melhor. Que façamos esforço para sermos seres humanos cada vez melhores e mais próximos daquilo que Deus almejou para nós! Sem esperar o calendário mudar...

Um feliz Minuto Novo para todos!

Ângela Rocha

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Nem vou dizer que é saudade, deve ser crise da meia idade mesmo...



Tenho muita saudade do tempo em que as coisas andavam mais devagar. E não estou falando do tempo em que andávamos a pé, a cavalo ou de carroça. Falo do tempo em que as coisas não nos atropelavam a ponto de passar por cima da gente. Do tempo em que a comunicação era mais "difícil". Mas, muito mais edificante e emocionante.

Ultimamente a gente tem que estar informado de tudo, ligado em tudo e conectado em todas as redes sociais possíveis. Senão está fora do mundo!
E tenho me questionado até que ponto vale a pena estar tão ligado nisto tudo. Penso que se a gente se preocupar em atualizar todos os nossos perfis na rede, não nos sobrará tempo para mais nada nesta vida.
Até um tempo atrás quem não tinha Orkut não fazia parte da civilização moderna. Agora, o orkut “morreu” e se pode dizer isso do Facebook... Para não falar em twitter, Hi5, Badoo e tantos outros que esqueci até o nome. Isso porque nem estou considerando a proliferação de blogs e sites disso ou daquilo.
Pois é. E gastamos um tempo enorme da nossa vida escrevendo um monte de bobagem. Que de "edificante" e "emocionante" não tem nada. A não ser que você ache emocionante saber o que seu amigo está fazendo neste momento, que pode ser: fritando um ovo, tomando banho, cozinhando, comendo, c...
Cada vez mais me surpreendo com a quantidade de asneiras que leio. E me surpreendo mais ainda de ESTAR LENDO ESTAS ASNEIRAS! Ou então lendo pseudo-mensagens de “amigos” que falam da importância de ser amigo, do amor, da amizade, quando estão pouco se lixando para saber como está verdadeiramente este amigo. Mas a realidade nua e crua é que: Não dá Ibope DAR atenção! É preciso SER atenção. Aumentar o número de acessos, curtições, twuitagens, amigos...
Sabe do que tenho saudade? Do bom e velho telefone de disco.

Há quanto tempo você não telefona simplesmente para "ouvir" a voz de um amigo? Telefone é caro! Celular também é artigo de consumo, mas é usado mais para falar bobagem do que por qualquer outra coisa.
Mas ainda tem o MSN e os bate-papos do facebook. Que não serve para nada se você fica "online" simplesmente para dizer que está "conectado" e não fala com ninguém.
Onde anda aquele contato, aquela "proximidade", ao vivo e a cores? Quantas tardes a gente deixa de ir ao clube ou ao barzinho pra encontrar os amigos porque a net é mais interessante?
Bom, acho que estou sendo chata. Cada vez mais os barzinhos e clubes estão cheios de gente conversando com os outros... PELA INTERNET! Ninguém vai a bar que não tenha Wi-fi.
É que amigo bom é aquele que não te amola pedindo atenção, que você não precisa olhar nos olhos. Só se for pela câmera do PC via internet.  E ainda tem uma vantagem na net: você responde depois! Ou não responde nunca mais. Quem é que vai perceber nesse mundo entupido de mensagens eletrônicas?
Ah! Que saudade! Saudade de sentar ao lado do amado ou da amada para assistir um bom filme romântico. Fazer aquela sessãozinha de cócegas nos filhos. Sentar e perguntar: "Amor da minha vida, como foi seu dia?"... Ou então parar na cerca do vizinho e jogar conversa fora. Ah... Esqueci! Quem mora em apartamento não tem cerca e muito menos tem “vizinho", só gente que, de vez em quando, a gente esbarra no elevador.

Ah e os e-mails? Esses só enchem o saco da gente. Porque demandam atenção focada em alguma coisa. Ninguém manda e-mail para dizer que está lavando o cabelo, coisa tão interessante e edificante para se saber. E também nunca ninguém manda nada que seja de sua própria autoria. Mas se sente na obrigação de repassar tudo que recebe! Sem censura ou crivo do bom senso.

Bom, dizem que quem vive de saudade já morreu. Então é isso. Antes que digam que já morri, vamos esquecer a saudade. Porque está na hora de ver se tem novidades no Facebook ou no twitter, no e-mail, no orkut... Não, esse não, já saiu de moda.

Ângela Rocha
"Comunicar-se com os outros é dizer as palavras que o amor escolhe."


Essa eu não resisti... Ou vá me dizer que nunca leu gibi do TEX?

domingo, 16 de dezembro de 2012



Quisera, Senhor, neste Natal,
armar uma árvore dentro de meu coração e nela pendurar,
em vez de presentes, os nomes de todos os meus amigos:

Os amigos de longe e de perto;
os antigos e os mais recentes;
os que vejo a cada dia e os que raramente encontro;
os das horas difíceis e os das horas alegres;
os que, sem querer, eu magoei, ou, sem querer, me magoaram;
os que me devem e aqueles a quem muito devo;
meus amigos humildes e meus amigos importantes.

Uma árvore de raízes muito profundas para que seus nomes nunca sejam arrancados do meu coração;
de ramos muito extensos para que novos nomes, vindos de todas as partes, venham juntar-se aos existentes;
uma árvore de sombra muito agradável para que nossa amizade seja um momento de repouso nas lutas da vida.

Que o Natal esteja vivo em cada dia do ano que se inicia para que possamos juntos viver o amor!


Recados
Recados

 



quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Sabe o espírito da coisa?



Pois é...
Quantos dias faltam?
Será que faço peru ou pernil? Talvez os dois, mas vai sobrar, este ano acho que não vem ninguém...
amigo secreto? Presente ou chocolate? (benza Deus! açúcar!)
presente pro pessoal do trabalho
pra turma da fisioterapia
presente pra turma escola
das escolas... tem da filha também
presentes pros filhos, pra namorada do filho
e para o amor da minha vida?
e dá-lhe grana...
e shopping lotado e estacionamento lotado
e atendimento ruim, trânsito confuso
comprar, comprar, comprar
e gente com pressa... pressa pra que? nada vai sair do lugar.
este é o espírito da coisa!

Ah! e quando a gente era criança... era tão bom! uma magia só...!
fim de ano, despedida das aulas, os parentes chegando, tem o início de férias e a chance de ir pra casa de alguma tia...
e Papai Noel? Que a gente nem acredita mais, mas espera com tanta ansiedade... e aquele barulhinho bom de presente sendo desembrulhado, e aquele cheiro gostoso de tanta comida boa, toma café da manhã pensando no almoço, e aquela mesa farta o dia inteiro e gente que chega se abraça, ri, chora e come.
este é o espírito da coisa!

tem gente que programa a festa no quintal na varanda, e fica rezando três dias antes pra não chover... tem gente que se aperta na sala, porque com São Pedro nunca se sabe!
tem roupa e unha e cabelo marcado e fofoca e confusão
e o ceia na casa da família dela, o almoço na casa da família dele...
onde vai ser o natal? onde vai ser o ano novo?
e a gente ali no meio embrulhando presente de última hora, tomando as decisões mais sérias: tempera com vinho branco ou tinto? e tem aquele que amou, amou, amou o presente, e era tudo o que eu precisava, juro!
e aquele que desconfiou do pacote, do presente e da pessoa que deu
este é o espírito da coisa!

será que está naquele momento... naquele tranquilo momento em que você tempera a salada ao lado da irmã que você não encontra há meses, e constata feliz que vocês são as mesmas meninas de sempre, cheias de sonhos e bem humoradas?

não, tão simples assim? será que o espírito da coisa esta naquele vizinho que inesperadamente bate na tua porta e  te presenteia com uma torta linda, receita tradicional da familia...
será que está na voz embargada lembrando da mãe que não está mais com a gente?
ou será que está naquela passada rápida que você faz ao correio pra colocar a última encomenda, e antes de sair o moço do correio, pergunta:
- você não quer adotar uma carta?
- Heim?
- É, uma cartinha endereçada ao Papai Noel, você pode ser o Papai Noel de alguém, comprar o presente pedido pela criança.
- hããããã ,ok, vou escolher uma.
este é espírito da coisa!
estará ai? será isso? este frenesi que a gente sente e quase toca... esse tumulto, essa vontade, essa preguiça, essa graça... esse ou aquele papel de presente?
Ou simplesmente ler um texto que dá uma vontade imensa na gente de fazer um igual?... 

qual é o espírito da coisa?

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Vai menina...




Vai menina, fecha os olhos. Solta os cabelos.
Joga a vida. Como quem não tem o que perder.
Como quem não aposta. Como quem brinca somente.
Vai, esquece do mundo. Molha os pés na poça.
Mergulha no que te dá vontade. Que a vida não espera por ti.
Abraça o que te faz sorrir. Sonha que é de graça.
Não esperes. Promessas, vão e vem. Planos, desfazem-se.
Regras, tu as ditas. Palavras, o vento leva.
Distância, só existe para quem quer.
Sonhos, realizam-se, ou não.
Os olhos fecham-se um dia, para sempre.
Mas o amor... Ah o amor é eterno.
E o que importa tu sabes, menina.
E o quão isso te faz sorrir. E só.

(Rita Ramalho)

Enfeite a árvore da sua vida...




Enfeite a árvore da sua vida

Enfeite a árvore da sua vida
com grinaldas de gratidão!
Coloque no coração laços de cetim
rosa, amarelo, azul, carmim,
Decore o seu olhar com luzes brilhantes
estendendo as cores em seu semblante
Essa é a sua roupa para o Natal!

Na sua lista de presentes, em cada caixinha,
embrulhe um pedacinho de amor,
carinho, ternura, reconciliação, perdão!
Tem presente de montão no estoque do nosso coração
e não custa um tostão! 
A hora é agora! Enfeite o seu interior! ´

Seja diferente!
Seja reluzente!
Feliz Renascimento

Cora Coralina

Abrindo minha novena de Natal, trago aqui, Cora Coralina, porque é na simplicidade das palavras que encontramos as melhores definições para o cotidiano.

Que cada um possa escolher a sua cor para este Natal e reluzir o melhor de si para o mundo!

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Gingerbread: Biscoito de Gengibre



Vocês lembram que no filme Shrek tem um biscoito em forma de homenzinho que fala sem parar? Pois é, aquele biscoito é um Gingerbread, ou seja, um biscoito de gengibre, muito tradicional no natal americano. Além de ter formatos interessantes: homenzinho, sino, bota, estrela, anjo... Ele também é uma delícia!
E este ano resolvi presentear os amigos com biscoitos. Ontem comecei minhas primeiras fornadas. Minha primeira receita testada e aprovada:

 
GINGERBREAD

100 gramas de margarina
100 gramas de açúcar
125 ml de melado (pode ser Karo)
1 gema de ovo
1/2 colher de chá de sal
1/2 colher de bicarbonato de sódio
1/2 colher de canela em pó
1 colher de cravo em pó
1 colher de gengibre ralado
1/2 colher de noz moscada
Trigo até dar ponto na massa (+ou- 1/2 quilo)

Cobertura: misture açúcar de confeiteiro com um pouco de água e suco de limão, coloque anilina ou corante se quiser colorir.

Misturar todos os ingredientes até deixar a massa sem grudar na tigela em ponto que dê para esticar com o rolo. Deixar por uns 30 minutos na geladeira. Em seguida esticar a massa deixando com uns 5 cm e modelar os biscoitos. Pode ser em formato de homenzinho, estrela, sino, bota. Colocar em forma untada ou forrada com papel manteiga. Aquecer o forno a 300º e assar por 10 a 15 minutos. Desenformar depois de frio. Decorar com confetinhos e glacê.