segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Amigos virtuais...

É bem verdade que a amizade virtual substituiu muitos amigos de “contato”. Amigos que além de palavras, nos dão um ombro amigo, nos olham nos olhos e nos dão aquele abraço apertado quando a gente precisa. Eu mesma relutei muito antes de ter contatos pelo MSN, entrar no Orkut e depois no Facebook.

Mas, em matéria de comunicação, tem coisas que é muito mais fácil dizer quando se está longe, ou melhor ainda, porque se está longe.

Nossas vidas andam tão atribuladas que não temos tempo para fazer amigos. Que dirá para conservá-los! É complicado ter amigos por perto. Eles exigem atenção e resposta na hora. Não dá pra desligar um botão e ver depois o que ele te disse. Amigos virtuais podem ser “acessados” e não visitados. O acesso se dá quando a gente quer. Já, a visita do amigo, pode ser numa hora em que a gente não quer.

Fico um pouco assustada com amigos virtuais. Fico com medo de perdê-los de repente no meio desses milhões de bytes. Fico com medo de esquecer de responder alguma mensagem e perdê-los numas das muitas pastas do meu computador e nunca mais voltar a vê-los. Sei que seria como a morte de um amigo querido, que eu nem poderia prantear por não saber onde está.

Preocupo-me quando tenho muitos e-mails, quando abro e vejo que as notificações do Facebook são muitas.  Sei que a grande maioria é de mensagens, correntes, brincadeiras, divulgação de produtos, etc. Todos “deletáveis”. Mas, e se houver no meio disso, uma mensagem de um amigo querido? E se alguém na sua solidão precisa de algum conforto, de uma palavra amiga, de um incentivo? E se houver alguém assim no meio das minha duas mil quinhentas e noventa e seis mensagens? Quando vou ter tempo de ler todas para não perder ninguém?

Por outro lado, existem muitos “pseudo” amigos, aqueles que só amolam mandando correntes ou fazendo piadas imbecis sobre política. Para mim, e-mail é para mandar mensagem escrita que diga alguma coisa. Pode ser até piadinha, desde que te anime e levante teu astral. E a gente precisa escrever! Não precisam ser “preciosidades literárias”, o amigo pode só dizer pra gente como vai a vida, o que tem feito e mandar um abraço. Sinto falta disso.

Outro dia estava no bate-papo, e uma pessoa chamada “Mozinho”, pediu para falar comigo. Disse que me amava muito e que eu era linda. Mandou-me uma “carinha” com beijinho. Eu disse que queira mais e ela respondeu: “Já vou aí!”. Então, minha filha veio correndo do quarto me deu um abraço apertado e me encheu de beijos.

Queria que todos os meus amigos virtuais pudessem fazer isso!

Ângela Rocha



3 comentários:

  1. Seria perfeito se pudéssemos entrar por essa tela fria e imitar o lindo gesto da Paulinha. Mas ainda tenho esperanças de recebê-la em minha casa com meu
    presente de casamento, está lembrada de sua promessa? Bjussss

    ResponderExcluir
  2. Os amigos virtuais também são importantes, como você constatou.

    ResponderExcluir