terça-feira, 3 de julho de 2012

Que o Catolicismo nos faça melhores...



Olá aos meus queridos leitores e aos "desavisados" que passam por aqui... sem saber que esse é um blog de uma catequista "amadora", que aprende cada dia mais e fala pelos cotovelos! Rsrsrsr...

A respeito destes "desavisados"... por quem tenho o maior carinho, pois muitos deles se tornaram amigos de fato... preciso responder a um comentário feito pelo "Carlos" na minha postagem anterior a esta... Onde eu já o respondia sobre "qual a melhor religião".

Bem, meu caro Carlos, nem sei por que afinal estamos discutindo... rsrsrsr... Eu considero a CATÓLICA a melhor religião, e provavelmente você também! O que, então, estamos querendo provar aqui?

De minha parte eu concordo com Dalai Lama: a melhor religião é aquela que te faz uma pessoa melhor! Já você, parece estar querendo me dizer que fora da religião Católica, todas as criaturas estão condenadas a danação eterna... Inclusive citou vários itens do Catecismo da Igreja Católica. Que eu gostaria de lembrar aqui é que, o Catecismo da Igreja Católica, foi feito como instrução e inspiração para se criar outros catecismos nas Igrejas particulares, ou seja, não foi feito para todos os leigos lerem e entenderem. O Catecismo precisa de interpretação e entendimento, que muitas vezes não se consegue sozinho. Portanto, não façamos dele nosso "livro de cabeceira" nem nosso "manual" de orientação para a vida. Para o catequista ele é muito importante sim, pois nele estão contidas as doutrinas da nossa Igreja. Mas, mesmo o catequista, precisa de orientação para uma boa compreensão e aplicação na catequese de crianças e jovens.

A respeito das citações que fez, elas precisam ser analisadas à luz da Constituição Dogmática Lumen Gentium, (de onde saiu a maioria delas feitas nessa parte do CIC). É preciso tomar muito cuidado quando fazemos citações, sem o texto completo, elas podem trazer uma interpretação equivocada... Como a de número 846, por exemplo: sozinha ela nos traz a convicção de que nossa Igreja é soberba e intolerante, o texto é tirado do item 14 da LG e, sem lermos os itens seguintes, como o 15 e 16, por exemplo, perdemos uma das mais maravilhosas expressões de MISSIONARIDADE de nossa Igreja. 

Não vou citar aqui os itens a que me refiro, pois correria, também, o risco de levar a uma interpretação isolada dos fatos. A Constituição Lumen Gentium é uma das  mais importantes do Concílio, pois nos trouxe uma nova visão da Igreja como "Luz dos povos". Interpretar este ou aquele tópico, sem conhecer todo o documento pode levar-nos a não compreender, de fato, o que significa o "Espírito Cristão". Sugiro que se faça uma leitura integral e  atenta do documento.

Vejamos... será que esqueci alguma coisa?

Ah sim! Não gostei nada, nada dessa colocação:
“O católico não pode simplesmente ”se sentir a vontade para pensar e propagar o que quiser” a menos que se ache maior que o Magistério da Igreja. A Igreja tem a assistência do Espírito Santo, portanto, o que a Igreja diz é o que Deus diz.”.

Se assim é, pare, por favor, de falar besteira. Você está denegrindo a imagem da nossa Igreja. O que eu quis dizer é que o fato de sermos católicos não nos faz “bitolados” e insanos a ponto de afirmar que quem não é católico não tem salvação. Por caridade, termine de ler o Catecismo e coloque em prática o Mandato Missionário de nossa Igreja. E aqui arrisco uma citação da Ad GentesCabe à Igreja o dever e também o direito sagrado de evangelizar.” (AD 7). Mas lembre-se: não estamos no tempo da colonização, estamos no século XXI. 

E vou reproduzir aqui uma coisa que me disse uma amiga: “Precisamos entender o mundo que nos cerca, senão, nossa fé será ingênua, sem compromisso com a vida, com o cotidiano. Saber muito de doutrina, não é saber da vida e de nada adianta ficar “arrotando" trechos de documentos da Igreja sem saborear a causa deles: o projeto de Jesus (Lc 4, 14-21), o porquê e para quem Ele veio!”.

Aonde vou, levo Cristo comigo. Não só na cruz que trago no peito, mas, no meu coração. Não creio na Igreja Una, Santa, Católica e Apostólica porque está escrito em algum lugar...

Creio nela porque apesar de UNA, ela se  apresenta com uma grande diversidade, que provém ao mesmo tempo da variedade de dons de Deus e da multiplicidade das pessoas que os recebem. Somos “Povo de Deus” e a unidade não se perde nas diversidades de povos e de culturas. A grande riqueza dessa diversidade não se opõe á unidade da Igreja. O que nos ameaça é o peso do pecado e de suas conseqüências para o dom da unidade. O verdadeiro apóstolo exorta a se conservar a unidade do Espírito pelo vínculo da paz. O primeiro vínculo da unidade é a caridade, o amor, aí sim, vem os vínculos formados pela profissão de uma única fé, pela celebração do culto divino, pelos sacramentos e pela sucessão apostólica. (Isso parece coisa do mesmo CIC citado pelo Carlos? Não... mas é... itens  813, 814, 815)

E mesmo que nas várias afirmações dogmáticas do Catecismo se reforce que a Igreja católica é a única Igreja de Cristo, encontramos mais adiante, no mesmo catecismo, citações do decreto Unitatis Redintegratio e da Lúmen Gentium, que dizem que aqueles que nasceram em comunidades originárias das cisões da Igreja ao longo da história, e que estão imbuídos da fé em Cristo, merecem o nome de Cristãos e são reconhecidos pelos filhos da Igreja Católica como irmãos no Senhor.

Além disso, muitos elementos de santificação e de verdade existem fora dos limites visíveis da Igreja Católica... “ (CIC  819, citando a LG 8, pg. 235).

E se esses elementos de santificação não existem, cabe a nós, herdeiros da missão deixada pelos apóstolos, ir ao encontro  dessas pessoas e evangelizá-las. E não criticá-las e excluí-las do nosso convívio!

UFA! Acabei, finalmente!

Um abraço a todos que conseguiram chegar ao fim do texto sem desanimar!... rsrsrsr



 




6 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Intolerância não combina com cristianismo. Para aqueles que não tem capacidade de argumentar seu erros, decidem pela "remoção" das verdades.

      Excluir
    2. Eu diria que é mais uma questão de remover os "donos da verdade" do que exatamente as verdades. E se intolerância não combina com cristianismo e você é cristão, porque a intolerância com as outras religiões???
      Outra coisa, se quer propagar suas idéias procure um espaço só seu, este espaço é de uma CATÓLICA APOSTOLICA ROMANA que ama a Igreja, respeita as doutrinas e o magistério dela, mas que vive no seu tempo, ou seja: HOJE!
      PARA MIM, INTOLERÂNCIA É USAR A DOUTRINA DA IGREJA PARA PREGAR O SEGREGACIONISMO E FICAR ARROTANDO POR AÍ QUE TUDO É PECADO, E QUE AS PESSOAS ESTÃO ERRADAS POR PREGAR O ECUMENISMO E A TOLERÂNCIA AOS QUE NÃO PROFESSAM A MESMA FÉ.

      Excluir
  2. A Paz de Jesus Ângela,temos muito em comum, somos parte deste grupo de catequistas unidos, ficamos felizes porque através dele conhecemos mais pessoas que como nós amam a Igreja Católica e realizam com dedicação esse serviço ao Senhor. Um abraço, quando quiser nos conhecer fique a vontade.
    Regilandia Pedrosa

    ResponderExcluir
  3. Minha Cara Angela Rocha, como sempre ,você com suas sábias palavras, te admiro demais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode me dizer quem está falando? preciso agradecer o elogio e mandar um abraço! rsrrsrs...

      Excluir