domingo, 23 de setembro de 2012

A importância da família...



Acho errado nos conformamos com a ausência dos pais e da família na catequese porque nosso “foco” são as crianças. Meu foco como catequista NÃO é a criança. Aliás, está totalmente equivocado pensar esta missão com "foco" em alguma faixa etária. Devo me preocupar com a idade do catequizando somente para escolher o melhor método de abordagem e aprendizagem. Jamais trabalhar pensando exclusivamente na criança. Ela não é um ser desalienado... Ela vem de um lar, de uma família e de uma formação, seja ela boa ou ruim. Eu passo com ela de 30 a 40 horas num ano... os familiares, as outras 8.720 horas...

Evangelizar é muito mais que se encontrar com um grupo de crianças uma vez por semana e esperar que alguma coisa que você diga, entre no coração delas e que lá, num futuro incerto e distante, elas lembrem de alguma coisa. Se você não envolve a família na comunidade, não faz destas crianças verdadeiros participantes dela, seu trabalho será em vão.
 
Se existe algum foco em nossa missão, este deve ser A FAMILIA como um todo. Vou me angustiar sempre que encontrar dificuldades com a família, vou sofrer e vou chorar, pois sei que se não MUDAR verdadeiramente a família, essa convenção social tão importante na vida do ser humano, de nada vai adiantar eu me dedicar tanto à catequese.

Faz parte dos meus anseios, faz parte da minha missão. Não é pessimismo falar. É beber a realidade em dose máxima.

E lembrando nosso mestre: os sãos não precisam de médico, são os doentes. Nosso problema é que queremos curar a tosse de um dando remédio pro outro. No caso, as crianças, que, invariavelmente, estão ali meramente por não ter escolha.

Ângela Rocha
angprr@uol.com.br

5 comentários:

  1. Minha querida irmã... você ainda sofre??? Esta dor não é mais sua, Jesus já sofreu o suficiente!!!!
    Quando eu digo que seu foco são as crianças é porque você é catequista de criança e quem deve tomar conta dos pais é a catequese familiar de sua paróquia. Agora se na mesma não existir esta catequese é bom provocar o padre, pois me desculpe falar, mas sua paróquia está desorganizada.

    Grande abraço e estou rezando por você.
    Luciana Dias

    ResponderExcluir
  2. Querida Luciana, quem dera houvesse em todas as paróquias a tal "catequese familiar"... Se você vive essa realidade, pode acreditar, você é uma em um milhão! Apesar de que, "separar" a catequese infantil da catequese familiar é "departamentalizar" a Igreja... e isso vai contra todo o processo de Iniciação à Vida Cristã que a Igreja preconiza atualmente. A catequese das crianças JAMAIS deve ser pensada em separado da família como um todo. É de suma importãncia que a família participe do ensino da fé e da instrução dos sacramentos. Um abraço!

    ResponderExcluir
  3. Pois Angela, querida, aqui em minha paróquia temos a catequese familiar e temos tb muita reclamação sobre "a ausência " dos pais, ou seja, o desinteresse, a falta de acompanhamento dos filhos , pouca frequência em reuniões e etc. Lembra aqueles álbuns que te enviei da catequese em família? Poucos são os pais que acompanham com os filhos. Da minha turma mesmo, nenhum. Algumas crianças não dão nem mais notícia dele. Trata-se apenas de uma leitura bíblica semanal em família., mas ainda assim não o fazem. Detalhe, o álbum é grátis. Talvez se fosse pago, resultaria em melhor interêsse? Será? Apenas uma suposição. Dificilmente alcançaremos um ideal de catequese? o grande desafio de todos nós catequistas, acredito, é o que fazer para atrair a atenção das crianças e jovens na nossa catequese de hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é isso Edite voltamos a nossa velha suposição de que a catequese precisa ser feita com adultos... Sem alcançá-los pouco podemos fazer só com as crianças.
      Mas vamos levando, não podemos perder a esperança! Beijão!

      Excluir
  4. Olá Angela, eu não estou querendo separar a catequese familiar com a catequese de crianças, nunca! Só estou dizendo que você não pode fazer as duas coisas ao mesmo tempo, fazer um trabalho BOM com as crianças e ao mesmo tempo com os pais, é impossível! Você acaba não fazendo bem um dos dois. Como tem gente na nossa Igreja que é da Liturgia, catequese, batismo, dízimo e ainda faz leitura na Missa. Ninguém merece! Por isso que as coisas não caminham!
    Na verdade se trabalha em conjunto, não só uma pessoa para fazer mais de um trabalho.
    Sei que você já deva ter lido sobre o RICA, vai ter o catequista e o introdutor para auxiliar na catequese... entende agora?
    Grande abraço!
    Luciana Dias

    ResponderExcluir