quarta-feira, 13 de junho de 2012

Os olhos...


“Os olhos são a candeia do corpo. Quando os seus olhos forem bons, igualmente todo o seu corpo estará cheio de luz. Mas quando forem maus, igualmente o seu corpo estará cheio de trevas”.

Lc. 11, 34.


A vida nem é boa nem é má, ela é como é. São os seus olhos que lhe dão sentido e significação. A maneira como você perceber as situações, os acontecimentos, é o que dará a cada fato a sua “tonalidade” própria: cinza chumbo ou azul turquesa.

Se os teus olhos forem bons, capazes de olhar para o outro com reverência, para a dor com solidariedade, para a perda com gratidão, para o lamento com alegria, para a amargura com contentamento, para a injustiça com esperança; todo o teu corpo se usufruirá disto, e você terá saúde física, emocional e espiritual, será como uma candeia em meio à escuridão.

Do contrário, tudo o que se poderá perceber através de teu olhar será um grande amontoado de fatos desconexos, uma realidade caótica, uma sociedade perversa, um “deus” bizarro, sadista, que trata seres humanos como marionetes circenses.

Sim, você enxergará as pessoas como uma multidão de gente louca, indo do nada para lugar algum, pois, certamente, se os teus olhos forem maus, que grandes trevas habitarão o interior de teu ser.

Por isso, nunca se esqueça do que disse Saint-Exupéry: “Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível para os olhos”.

Um comentário:

  1. Boa tarde Ângela. Passei para visitar seu blog e para desejar-lhe um abençoado final de semana. ABRAÇOS!!!

    ResponderExcluir