quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Pescadora de corações


Hoje é aniversário da Rosângela...
 
E começo este texto com um pedido humilde de desculpas.

Ontem estive no Shopping procurando um presente. Afinal de contas, hoje à noite vamos nos encontrar para festejar o dom da vida desse nosso Anjo Catequista. Não pode faltar um presente. Ninguém vai a uma festa de aniversário (por mais que ela diga que é só uma “reuniãozinha” de amigas) de mãos vazias.

E entre brincos, carteiras, bolsas, chinelinhos, blusinhas da moda... Nada parecia combinar direito com a Rô. Então fomos à livraria. Meu filho foi procurar o último lançamento de um livro de ficção bem ao estilo “domínio dos mundos”... Nem lembro bem como se chama. Então, vi o livro do Padre Antonio Maria (e agora vem “um” dos motivos do pedido de perdão). “É este mesmo!”. Chega de procurar. Um livro de religião é bem a cara de uma catequista. 

Claro que depois bateram algumas dúvidas. E se ela já tiver? Nossa, a Rô anda estudando tanto. E eu estou dando mais uma coisa pra ela ler! Puxa vida, eu podia ter comprado alguma coisa mais pessoal, uma coisa “pra ela”. Porque não comprei um objeto de uso pessoal?

Mas o fato é que comecei a pensar nisso já em casa, num feriado, “e o aniversário é AMANHÃ!”. Vai ter que ser o livro! E mais brava fiquei ainda ao ver que meu marido, ao passar pelo caixa, nem pediu pra embrulhar pra presente. 

Mas... Hoje acordei as 5h30 da manhã. Meu filho que passou o feriado em casa tinha que pegar ônibus logo cedo. Depois de me despedir pensei em voltar a dormir. Paulo e Maria Paula já tinham saído. Meu trabalho de hoje de manhã, de repente, não me pareceu tão importante... Foi quando botei os olhos no livro “da” Rô encima da mesa da sala. 

Agora vem o pedido “dois” de perdão, que mais tarde acho que vocês vão encarar como minha “redenção”: Eu me pus a ler o livro! E li tudo. As 190 páginas. A Rosângela, portanto, vai ganhar um livro “usado”! Com as folhas não tão imaculadas e até com algumas páginas manchadas... Por lágrimas. Sim eu chorei, em muitas das passagens que li. E enquanto lia pensava no quanto as histórias contadas nos dão a exata dimensão do que é “ser chamado”.

Padre Antonio Maria fala dos “Pescadores de Corações”. E nesses pescadores e pescadoras eu enxerguei muitos catequistas. E uma catequista em especial. Nunca achei que um presente combinasse tanto com a pessoa presenteada como esse combina. Aliás eu nunca dei um presente em que me sentisse "presenteada"!

Sim, porque, a Rosângela é uma pescadora de corações. E das mais caprichosas. Ela tece suas redes com carinho, com fios delicados que não machucam os peixes. Mas que também, não os deixam escapar. E até parece que posso ver Jesus dizendo a ela: “Vêm!”... E ela indo sem temor.E o quanto essa mulher tem jogado isca no mar, na lagoa, no rio e até nas poças d'água...

Não posso, claro, contar o que li... Perderia totalmente a graça para quem ainda vai ler. Mas posso dizer que a cada história de conversão e chamado que li eu lembrava da Rô... E chorava. 

Não porque ela merece tristeza, mas por mim... Porque me lembro do que ela me disse quando desisti da Paróquia N. Sra. Auxiliadora... Do quanto ela me deu lições de pesca e eu, ignorante que sou, não escutei. Do quanto ela me pediu paciência, porque os peixes demoram a morder a isca. Do quanto ela me alertou para aprender a pescar primeiro lambaris, para depois querer pegar salmão. E tecer as redes com carinho,e jogá-las no lugar certo e devagar... A não ser brusca, a pescar de canoa e não de baleeiro...

Rosângela, minha querida, depois que li o livro, fui escrever uma dedicatória... E de repente, a dedicatória quase vira outro livro... Nem cabia mais na página. Então resolvi botar aqui, no seu FELIZ ANIVERSÁRIO, porque se você já leu o livro sabe e se não leu, vai saber, que merece essa homenagem.

Porque você é uma PESCADORA DE CORAÇÕES e devia estar no livro do Pe. Antonio Maria... No meu com certeza você está. Escrita nas páginas da minha vida.
E nesse seu aniversário eu tenho muito a agradecer. Porque acho que Deus sabia que eu precisava ter umas lições de pesca... e foi por meio de você que as tive. Sabe como Pe. Antonio Maria chama as coincidências? "Deusdências".

Você foi um Deusdência em minha vida. Obrigado Deus, porque nos deste a Rosângela. 

Um grande e enorme beijo... Que hoje a noite tornarei real. 

(Tomara que você só leia isso amanhã! Porque estou até envergonhada desta rasgação de seda... rsrsrsrsr)

Nenhum comentário:

Postar um comentário