sábado, 24 de março de 2012

Igreja celebra Dia de Oração e Jejum pelos missionários Mártires


Neste sábado, 24, as Pontifícias Obras Missionárias (POM) da Itália, celebram o 20º Dia de Oração e Jejum pelos Missionários Mártires. Como acontece todos os anos, a data é celebrada no mesmo dia em que se celebra o aniversário de assassinato do arcebispo de El Salvador, dom Oscar Romero (24 de março de 1980).

A iniciativa pretende recordar com a oração e o jejum todos os missionários que foram mortos no mundo e todos os agentes pastorais que derramaram o sangue pelo Evangelho, se espalhou a muitas dioceses, realidades juvenis e missionárias, institutos religiosos dos diversos continentes.

O tema escolhido para este ano foi “Amando até o fim”. Para o diretor nacional das POM da Itália, padre Gianni Cesena, “não quer ser um final feliz forçado que cancela a dureza da violência ou da tragédia de uma vida interrompida dramaticamente, mas simplesmente evoca os últimos instantes daqueles que, a exemplo do Mestre, doam a vida, perdoando seus carnífices”, escreveu, apresentando o subsídio para a animação. “Eis porque cada martírio, a partir do tempo de Estevão, deve ser relido na figura do martírio de Jesus, testemunha e revelador de um Deus Pai que ama e perdoa. Jesus nos revela a dor do Pai, que não é um vago sentimento de desprazer pelo pecado dos filhos ou de compaixão por seus sofrimentos, mas é o seu modo de ser misericordioso e fiel”, afirmou.

Para celebrar os mártires, o Movimento Juvenil Missionário, convida as comunidades paroquiais e de vida consagrada, os seminários e os noviciados, a criar na Igreja “o ângulo do martírio”, utilizando uma cruz, uma faixa vermelha e escrevendo os nomes das missionárias e dos missionários mortos no ano; a informar-se se na própria diocese houve missionários mortos, também no passado, e dar a conhecer o testemunho deles; a realizar um gesto de reconciliação com os membros de outras confissões religiosas.

As famílias podem realizar um gesto de reconciliação entre marido e mulher, entre pais e filhos, entre irmãos e irmãs, entre membros da mesma família; podem convidar para o almoço um irmão ou uma irmã de outra nação; rezar todos juntos pelos missionários assassinados. Os jovens são convidados a visitar os que estão sós e oprimidos pelos sofrimentos (no hospital, numa casa de repouso, na prisão, doentes ou idosos sozinhos em casa), a viver e promover o Dia na própria paróquia e na própria diocese.

Solidariedade

O Projeto de solidariedade, que se pretende realizar este ano com as ofertas arrecadadas no Dia de oração e jejum pelos Missionários Mártires, diz respeito à população que mora nas zonas montanhosas da Papua Nova Guiné, que chegam a 4 mil metros. Ali, inúmeras mães e suas crianças são contaminadas com HIV/AIDS e morrem sem qualquer assistência, de fato a Papua Nova Guiné está entre os países do Pacífico com maior número de soropositivos. No ano passado, foi construído o primeiro centro de análise e cura na planície, mas agora seriam necessários pelo menos outros cinco entre as montanhas, pois as pessoas caminham dias a pé para chegar aos diversos vilarejos espalhados nas imensas florestas ou nas vastas planícies.

Missionários assassinados em 2011

Em 2011 foram assassinados 26 missionários e agentes de pastorais. A lista, como é de costume, foi divulgada pela Agência Fides no final do ano. De acordo com os dados, foram assassinados 18 sacerdotes, quatro religiosos e quatro leigos.

A América está em primeiro lugar em número de assassinatos. Ao todo foram 13 sacerdotes e dois leigos. A África vem em seguida com seis agentes: dois sacerdotes, três religiosas e um leigo. Na Ásia foram dois sacerdotes, uma religiosa e um leigo. Na Europa, por sua vez, foi morto um sacerdote. No ano anterior foram assassinados 25 agentes.

A Agência Fides revela que os missionários assassinados foram vítimas da violência que combatiam ou da disponibilidade de ajudar os outros colocando em segundo lugar a própria segurança. Ainda em 2011, completou a Agência, “muitos foram mortos em tentativas de roubo ou de sequestro que terminaram mal, surpreendidos em suas casas por bandidos ou por jovens delinquentes que tinham ajudado antes, à procura de dinheiro fácil”.

O papa Bento XVI lembrou na festa litúrgica do Protomártir Estevão, em 26 de dezembro, os missionários assassinados com a seguinte passagem do livro de Mateus 10, 22. “Como nos tempos antigos, hoje a adesão sincera ao Evangelho pode exigir o sacrifício da vida, e muitos cristãos em várias partes do mundo são expostos a perseguições e ao martírio. Porém, o Senhor nos recorda que aquele que perseverar até o fim será salvo”.


LISTA FIDES 2011


FONTE: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário