sexta-feira, 30 de março de 2012

A melhor religião...

Esta história, conta-se, é uma conversa entre o Dalai Lama e Leonardo Boff. Não posso dizer se é verdadeira ou só uma fábula criada por alguém. Mas acredito que ela traz uma mensagem muito maior do que, simplesmente, a escolha de uma denominação religiosa para se seguir:

No intervalo de uma mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos, na qual ambos participávamos, eu, maliciosamente, mas também com interesse teológico, lhe perguntei em meu inglês capenga:
— Santidade, qual é a melhor religião? Esperava que ele dissesse: "É o budismo tibetano" ou "São as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo".
O Dalai Lama fez uma pequena pausa, deu um sorriso, me olhou bem nos olhos — o que me desconcertou um pouco, por que eu sabia da malícia contida na pergunta — e afirmou:
— A melhor religião é aquela que te faz melhor.
Para sair da perplexidade diante de tão sábia resposta, voltei a perguntar:
— O que me faz melhor?
— Aquilo que te faz mais compassivo (e aí senti a ressonância tibetana, budista, taoísta de sua resposta), aquilo que te faz mais sensível, mais desapegado, mais amoroso, mais humanitário, mais responsável... A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião...
Calei, maravilhado, e até os dias de hoje estou ruminando sua resposta sábia e irrefutável.

Para esclarecer:

O Dalai Lama é o título de uma linhagem de líderes religiosos da escola do budismo tibetano, tratando-se de um monge e lama, reconhecido por todas as escolas do budismo tibetano. "Lama" é um termo geral que se refere aos professores budistas tibetanos. O atual Dalai Lama é muitas vezes chamado de "Sua santidade" por ocidentais, em sinal de respeito, embora este pronome de tratamento não exista no tibetano. Tibetanos podem referir-se a ele através de tratamentos tais como Gyawa Rinpoche que significa "grande protetor", ou Yeshe Norbu, a "grande joia".Tenzin Gyatso é o atual Dalai Lama,  é monge e Geshe (doutor) em filosofia Budista, recebeu o Nobel da Paz e e foi agraciado com mais de 100 títulos honoris causa.

Leonardo Boff, é um teólogo brasileiro, escritor e professor universitário, expoente da Teologia da Libertação no Brasil. Foi membro da ordem dos Frades Menores Franciscanos. É respeitado pela sua história de defesa das causas sociais e por suas muitas obras escritas. Seus questionamentos a respeito da hierarquia da Igreja, expressos no livro Igreja, Carisma e Poder, renderam-lhe um processo junto à Congregação para a Doutrina da Fé. Em 1985, foi condenado a um ano de "silêncio obsequioso", perdendo sua cátedra e suas funções editoriais no interior da Igreja Católica. Em 1986, recuperou algumas funções, mas sempre sob severa vigilância. Em 1992, ante nova ameaça de punição, desligou-se da Ordem Franciscana e pediu dispensa do sacerdócio. Sem que esta dispensa lhe fosse concedida, uniu-se, então, à Márcia Monteiro da Silva Miranda, que é divorciada. Boff afirma que nunca deixou a Igreja: "Continuei e continuo dentro da Igreja e fazendo teologia como antes", mas deixou de exercer a função de padre dentro da Igreja.

Sua reflexão teológica abrange os campos da Ética, ecologia e e da Espiritualidade, além de assessorar as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e movimentos sociais como o MST. Trabalha também no campo do ecumenismo. Em 1993 foi aprovado em concurso público como professor de Ética, Filosofia da Religião e Ecologia na Universidade do Rio de Janeiro, onde é atualmente professor emérito.

Foi professor de Teologia e Espiritualidade em vários institutos do Brasil e exterior. Como professor visitante, lecionou nas seguintes instituições: Universidade de Lisboa, Universidade de Salamanca (Espanha), Universidade de Harvard (EUA), Universidade de Basel (Suiça) e Universidade de Heidelberg (Alemanha). É doutor honoris causa em Política pela universidade de Turim, na Itália, em Teologia pela universidade de Lund na Suécia e nas Faculdades EST – Escola Superior de Teologia em São Leopoldo (Rio Grande do Sul). Boff fala fluentemente alemão. Sua produção literária e teológica é superior a 60 livros, entre eles o best-seller: A águia e a galinha. A maioria de suas obras foram publicadas no exterior.

4 comentários:

  1. OLÁ, querida Ângela

    Estive ausente pela Quaresma...

    "Renovar
    Perdoar
    Esquecer
    Corações aquecer!!!"
    (Orvalho do Céu)

    Páscoa é:


    "Coragem é a resistência ao medo,
    domínio do medo,
    e não a ausência do medo."
    (Mark Twain )

    SAIR DO PRÓPRIO TÚMULO

    Jesus libertou-me... enviou-me anjos para me soltar das amarras que me prendiam...

    Apóstolo Pedro: “precisamos dar razões que justifiquem a nossa Esperança” (1Ps 3,15).

    FELIZ PÁSCOA PARA TODOS NÓS!!!
    Abraços fraternos de paz

    ResponderExcluir
  2. Tenho aq comigo um livro de Dalai Lama em que ele realmente diz isso. Ele diz que "as religiões analisadas de uma forma mais ampla todas elas visam ajudar o homem a alcançar a felicidade. E , na sua opinião todas são capazes de proporcionar tal coisa. Diz também que houve uma época em tb considerava o budismo o melhor caminho.E que gostaria sim que todos se convertessem ao budismo. Mas se confessa ignorante nessa época. Depois do exílio, teve contato com pessoas de religiões diferentes que dedicaram uma vida inteira a diferentes crenças. Essa trocas pessoais de experiências ajudaram-no a reconhecer o enorme valor das grandes tradições de fé e a respeitá-las profundamente.Para ele o budismo é a religião que mais se adapta à sua personalidade. Mas não significa necessariamente que seja a melhor religião para todas as pessoas"
    Vc já leu o livro? É muito interessante. Uma amiga me emprestou.
    Abraços e uma Feliz e santa páscoa avc e todos os seus familiares. FK com Deus.

    ResponderExcluir
  3. Dizer que a "melhor religião é aquela que te faz melhor" é puro e verdadeiro relativismo religioso e anti-católico que a Igreja vem enfrentando. Significa que se eu for da religião do candomblé por exemplo, mas se isso me faz melhor, então devo permanecer nela? Será que Nosso Senhor Jesus Cristo morreu numa cruz e fundou a Sua Igreja à toa? (Mt, 16, 18). Penso que um católico não pode pensar desta maneira, muito menos propagar este tipo de texto, pois é contrário à doutrina da Igreja.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é meu caro amigo Carlos, ainda bem que não estamos nos tempos da inquisição, senão, com certeza eu seria excomungada... Para mim a Igreja Católica se firma em 3 pilares: tradição, doutrina e Palavra. E a mais importante e que a mantém firme é a Palavra, que, infelizmente alguns interpretam da maneira como querem e tentam "grudá-la" na Doutrina, nem que seja a força... Tenho certeza absoluta que em nenhuma de suas pregações, Jesus disse que deveríamos ser intolerantes para com o outro... Aliás ele nos pediu "conversão", missionaridade. E olha, a religião que me faz MELHOR, que me faz mais compassiva, mais sensível, mais desapegada, mais amorosa, mais humanitária, mais responsável... é a religião católica. Sinto que ela não tenha o mesmo efeito em você. Consigo, com o amor que tenho a Jesus, amar e compreender todas as pessoas, mesmo que elas sejam contrárias a Doutrina da Igreja Católica.

      Excluir